Os mitos da comida para cães

Existem algumas crenças populares sobre a alimentação para cães e gatos por isso aqui ajudamos a esclarecer.

Comer doces ou açúcar provoca cegueira

Não corresponde à realidade. Se um cão é diabético, ou seja, se já apresenta um grave problema de produção de insulina que o impede de metabolizar os açúcares, ao ingerir um extra de açúcar aumenta o nível de glicose no sangue e pode facilitar a formação de cataratas e, em consequência, originar a perda de visão. Mas, se um cão não é diabético, ingerir açúcar não terá esse efeito.

No entanto, há limites à sua ingestão porque os açúcares:

- alteram o apetite, facilitam o aparecimento de diarreias e a alteração da flora intestinal;

- podem contribuir para um aumento de peso.

A comida dos humanos é má para os cães

A comida humana não é boa nem má para os cães. Porém, para o seu cão não ter problemas nutricionais, evite desequilíbrios. 

- escolha produtos de origem proteica (carne de vaca, frango ou borrego – sem ossos –; peixes; queijo fresco; iogurte ou requeijão);

- sirva pequenas quantidades;

- misture com a comida habitual, no recipiente próprio;

- assegure-se de que não representa mais do que 5 a 7% da ração diária e subtraia essa quantidade da alimentação normal do seu cão;

- evite alimentos que podem ser prejudiciais como. Cebola, alho, passas, uvas, chocolate, alguns frutos secos e alimentos adoçados com xilitol são de evitar.

Snacks são um mau hábito

Atenção à quantidade diária recomendável, dependendo do tamanho do cão.

Existem muitos tipos de snacks, por exemplo:

- alguns são encarados como "mimos" ou "recompensas", mas outros têm um uso funcional (limpeza dental, melhoria da digestão, redução da flatulência, suplementos nutricionais para pele e pelos, entre outros);

- alguns snacks são, essencialmente, cereais e podem ser dados na quantidade certa, outros têm mais gordura

- muitos snacks são pequenas porções do tamanho de uma ervilha ou avelã e outros são barritas maiores, pelo que deve ter em atenção o recomendado.

 

Pode dar snacks, desde que respeite algumas regras:

- sejam snacks adequados ao tamanho do cão;

- o ideal é reservar os snacks para “recompensar” o fiel amigo quando faz algo bem feito, pois assim ele associa o esforço à recompensa;

- os snacks indicam sempre para que cães são adequados, em que casos e como devem ser utilizados, incluindo a recomendação de dose diária ou semanal;

- é muito importante remover a quantidade proporcional de ração.

Os cães devem consumir carne ou comida crua

Este tipo de comida crua à base de carnes e alguns vegetais e batatas ou cereais pode, no entanto, ser mais suscetível de sofrer contaminação microbiana, sobretudo se for preparada em casa. Se o fizer, é importante que, como em qualquer tipo de dieta caseira, garanta que os animais estão a consumir todas as vitaminais e minerais essenciais nas proporções certas.  Escolha ingredientes de fontes seguras para garantir a segurança alimentar. Há vários parasitas e bactérias, como Salmonella que podem ser transmitidos ao animal através de dietas cruas

 

Se preparar refeições com carne crua para os seus animais em casa, siga estas regras:

- compre carne que esteja em boas condições. Não devem existir sinais visíveis de danos na embalagem;

- lave as mãos com água quente e sabonete após manusear a carne;

- lave todas as superfícies (https://www.deco.proteste.pt/alimentacao/seguranca-alimentar/noticias/higiene-cozinha-erros-evitar-nao-ficar-doente "") que estiveram em contacto com a carne crua;

- após cada uso, lave os comedouros ou qualquer utensílio com detergente e água quente, enxague bem e seque bem antes do próximo uso;

- Ao armazenar os alimentos para animais de estimação no frigorífico, certifique-se de que os produtos crus ficam na parte inferior.

As rações mais caras são as melhores

Na ração, os preços variam muito, e não é verdade que a ração mais cara seja melhor: é possível encontrar rações de alta qualidade a um bom preço.

Compare bem antes de comprar. Consulte-nos sobre este tema rações para cão e veja quanto podemos ajudar.

Dê alimento na quantidade certa

A maioria das embalagens de ração vem acompanhada de uma tabela que permite saber qual a quantidade de ração necessária para o animal, de acordo com o seu peso e idade. No entanto, a energia de que o animal necessita varia de acordo com vários fatores: condição de vida, atividade física diária, stresse, etc.

Pese a ração diariamente e o seu cão semanalmente para garantir que se mantém no peso ideal. Se engordar muito, provavelmente terá de diminuir a quantidade de ração que lhe está a dar; se emagrecer, terá de aumentar.

Escolha o alimento certo

O tamanho do croquete também é importante. Não dê a um caniche a mesma ração que daria a um pastor-alemão.

Coloque água à disposição

Se alimenta o seu cão com ração seca, é importante que coloque água suficiente à sua disposição.

Veja mais dicas nas nossas redes sociais:      

Produto adicionado à lista de desejos

Para poder prosseguir com a utilização da nossa loja online necessitamos que aceite os nossos Termos e Condições e a nossa Politica de Cookies.