Perceber melhor a ansiedade de separação no cão:

A ansiedade de separação nos cães é uma afeção patológica - motivo frequente de consulta. Recorre-se ao médico veterinário na sequência de destruições consideráveis, micções e defecações distribuídas por toda a casa, ou seja, em todos os locais a que o cão tem acesso, ou mesmo vocalizações quando são deixados sozinhos (latidos, uivos e gemidos). 

Este comportamento é motivado a uma ligação, ou até uma hiperligação, a uma determinada pessoa. O afeiçoamento é um mecanismo de aprendizagem que permite ao individuo identificar a mãe como o ser a quem estão ligados e uma referência tranquilizadora. A ligação é indispensável para efetivar uma boa impregnação e para o correto desenvolvimento psicomotor, cognitivo e social do animal.

Durante o período neonatal, a cadela está muito ligada às crias e tudo o que possa restringir os contactos entre a cadela e os cachorros vai desencadear um estado de tristeza profunda. Seguidamente, no período de transição, os cachorrinhos estão muito apegados à mãe: apenas ela conseguirá acalmá-los. Passa a ser a referência tranquilizadora à volta da qual se desenvolve o comportamento exploratório. Nesta fase, a ligação é recíproca. Qualquer tentativa para impedir o contacto despoleta um estado de aflição expressa por vocalizações e uma grande agitação, tanto por parte da mãe como dos cachorros. Mas quem diz ligação diz, também, distanciamento.

Trata-se de uma etapa importante na socialização do cachorro. A mãe, quando os cachorros machos atingem os 4 ou 5 meses de vida, começa a deixar de suportar o seu contacto e a impedi-los de se aproximarem dela, pelo que os jovens têm de procurar outro local para dormir. Esta fase culmina com a marginalização dos cachorros. No caso das crias fêmeas, o processo é mais lento e tem início no momento do primeiro ou segundo cio.

3 Dicas para controlar a ansiedade por separação:

1. Criar uma Rotina: assim como nós humanos, os animais de estimação precisam de rotinas, porque ajuda a habituarem-se às circunstâncias. É recomendado que todos os dias saia e entre em casa mais ou menos à mesma hora e fique fora o mesmo período de tempo. Mesmo que não tenha que sair todos os dias à mesma hora, o ideal é reservar momentos do dia em que o seu cão ou gato ficam sozinhos numa zona da casa ou no jardim, sem a sua companhia, para se habituarem a ter momentos sozinhos;

2. Tenha barulho de fundo na casa: este é um método otimo para fazer quando está em casa, mas também quando sai de cas, porque o seu cão ou gato vai sentir barulho e vai sentir-se menos sozinho. Deixar a televisão ligada ou um rádio ligado ajuda a diminuir a ansiedade do seu animal de estimação;

3. Programar tempo para brincar: está é mais uma rotina que deve ser praticada todos os dia. Programe uma hora por dia, todos os dias, para poder brincar ou passear com o seu animal de estimação. Nessa hora em que brinca ou passeia com o seu cão ou gato, use biscoitos e mimos para promover comportamentos corretos. Se brincar ou fizer um passeio com o seu animal algum tempo antes de sair é ótimo, porque vai deixar o seu amiguinho mais calmo e talvez até com vontade de dormir, o que torna a sua saída muito mais tranquila para ele.

Veja também algumas dicas para diminuir o stress nos cães e torna-los mais felizes.

Comments (0)

Produto adicionado à lista de desejos

Para poder prosseguir com a utilização da nossa loja online necessitamos que aceite os nossos Termos e Condições e a nossa Politica de Cookies.